Postado em: 10/02/2017 às 12:26 - Por: Neli Carpinter

Imagem reprodução Google


Direção: James Foley
Elenco: Dakota Johnson, Jamie Dornan, Bella Heathcote e mais
Gênero: Romance, Drama, Erótico
* Não recomendado para menores de 16 anos
Fonte: Adoro Cinema

Sinopse:
Incomodada com os hábitos e atitudes de Christian Grey (Jamie Dornan), Anastasia (Dakota Johnson) decide terminar o relacionamento e focar no desenvolvimento de sua carreira. Ele, no entanto, não desiste tão fácil e fica sempre ao seu encalço, insistindo que aceita as regras dela. Tal cortejo acaba funcionando e ela reinicia o relacionamento com o jovem milionário, sendo que, aos poucos, passa a compreender melhor os jogos sexuais que ele tanto aprecia.

Este texto pode conter spoiler, o que pode revelar partes do filme. Se não quiser ler, sugiro que visite outros posts no Vida que Segue.

Nesse segundo filme da saga “Cinquenta Tons”, temos uma história de amor se desenvolvendo, mesmo porque no livro, o segundo volume também é meio morno.

O enredo em si, ficou muito fraquinho, quase não se percebe um durante todo o filme.

Quem não assistiu ao primeiro filme não consegue entrar na história. Foi o que aconteceu com o meu marido, que dessa vez topou ir “só para me fazer companhia”. No meio do filme ele me perguntou: “esse filme não tem enredo?”. Penso que faltou uma introdução legal. O começo foi muito “vapt vupt”.

Se você não conhece o Christian Grey do primeiro filme não vai perceber a mudança de personalidade dele em Cinquenta Tons Mais Escuros. Mas esse é o único resquício de enredo no filme.

Não se consegue encontrar elementos da história de amor do Sr. Grey.

Mesmo assim, não posso dizer que não gostei do filme, porque gostei, e bastante. Alguns momentos bons, insinuativos e provocativos, salvam o filme.

Talvez cada livro devesse ser dividido em dois filmes, pois todo o conteúdo em 2 horas fica complicado. Quem não leu o livro não entende muita coisa por causa da aceleração e adaptação de cenas e quem leu, sente falta de algo. O primeiro filme – Cinquenta tons de cinza – foi bem fiel ao livro, mas o dois deixou a desejar.

Se você ta a fim de ir assistir Cinquenta tons mais escuros, tenho três conselhos: 1 assista ao primeiro filme antes. 2 Siga seu extinto e vá sem medo. 3 você pode aguardar passar na TV e poupar seu dinheirinho.

Apesar dos pesares, fiquei satisfeita com o resultado final do filme… minha nota para ele é 8.

Posts Relacionados:
Postado em: 01/02/2017 às 18:35 - Por: Neli Carpinter

Receitinha básica para a sobremesa.

Ingredientes

Manjar

1 lata de Leite condensado
2 ½ medida (da lata) de Leite líquido
1 vidro de leite de coco (200 ml)
½ pacotinho de coco ralado (úmido)
½ xícara (chá) de amido de milho

Calda

1 ½ xícara (chá) de açúcar
100 g de ameixa-preta sem caroço e picada
1 xícara de água
½ pacotinho de coco ralado (úmido)

Modo de Preparo

Manjar

O manjar é bem simples de fazer:
Misture bem todos os ingredientes e leve ao fogo, mexendo sempre, até obter um creme grosso.
Retire do fogo, despeje em uma forma com furo central (19 cm de diâmetro), molhada ou levemente untada com óleo (eu uso desmoldante. Bem pouquinho) , e leve à geladeira por cerca de 2 horas.

Calda

Misture os ingredientes da calda e leve ao fogo. Deixe ferver por cerca de 8 minutos.
Espere esfriar.

Prontinho!

Desenforme o manjar e coloque a calda por cima.

Posts Relacionados:
Postado em: 25/01/2017 às 23:14 - Por: Neli Carpinter

Desde criança que amava esse tipo de coxinha. Quando viajava de Miguel Pereira para o Rio, o ônibus fazia uma parada em Arcádia numa lanchonete que tinha delas e era o que eu comia.
Depois de casada fiz algumas vezes, com massa comum de coxinha, mas sempre achava meio bruta. Não acertava a mão (minha massa de coxinha não é das melhores, rsrsr).

Hoje fiz com uma massa diferente e ficou ótima. Segue receita:


Ingredientes:
Eu fiz 10 coxas de frango
Usei:
1 litro de água
2 cubinhos de caldo de galinha
1 cebola inteira
3 dentes de alhos
1/4 de xícara (chá) de molho de tomate
Pimenta do reino (à gosto)
1 colher de vinagre ou suco de limão

Massa
1 xícara (chá) do caldo do cozimento do frango
4 gemas
1 e ½ xícara (chá) de leite
12 colheres (sopa) de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de manteiga ou margarina
Sal a gosto
1/2 cubinho de caldo de galinha esfarelado

Para empanar
4 claras (as que sobraram da massa) + 1 ovo
Farinha de rosca (o quanto bastar para empanar).
Sal à gosto

Modo de preparo:
Lave bem as coxas de frango, retire a pele e adicione 1 colher de vinagre ou suco de limão.

Em uma panela de pressão, coloque a água, o caldo de galinha, a cebola, o alho, a pimenta do reino e o molho de tomate. Leve ao fogo e quando estiver frevendo, adicione as coxas e tampe a panela. Marque 10 minutos a partir do momento que abrir fervura.

Deixe o frango esfriando e reserve 1 xícara (chá) do caldo, onde ele foi cozido, para a massa.
Com o frango frio, retire o excesso que fica na ponta de baixo do osso.

Com exceção da manteiga, coloque todos os ingredientes da massa em uma tigela.
Mexa com o auxílio de um fuê até ficar uma mistura homogênea.
Em uma panela, derreta a manteiga e acrescente a mistura preparada.

Mexa com uma colher de pau até que forme uma bola de massa que solta do fundo da panela. Não se desespere se parecer que vai empelotar tudo. É assim mesmo. Ela vai ficar lisinha já já.

Retire a massa da panela, deixe amornar um pouco e coloque na geladeira por 15 minutos.

Vá pegando pequenas porções de massa e abrindo (eu usei rolo de abrir massa e coloquei a massa entre um plástico e outro para ficar mais fácil, mas pode abrir com a mão que dá super certo).

Envolva a coxa nela, vá puxando a massa para extremidade onde se encontra o ossinho, mas sem cobri-lo todo, modelando como se fosse uma coxinha comum.


Faça o mesmo com o restante das coxas.

Misture as 4 claras com o ovo inteiro (vai ser a continha) e coloque sal à gosto.

Vá empanando uma peça de cada vez. Passe no ovo e depois na farinha de rosca. Repita o processo para ficar bem crocante.

Aqueça o óleo na frigideira e frite de duas em duas para não esparramar muito o óleo e correr o rico de respingar.

E está pronta as sua coxinhas de coxas inteiras.

Agora quebra o galho aí e deixa um comentário para fazer essa blogueira aqui feliz.

Ah!! Pode fazer com as coxinhas da asa também. Ficam mais delicadinhas.

Bjus e até a próxima!

Posts Relacionados:
Postado em: 24/01/2017 às 17:57 - Por: Neli Carpinter

Mais uma vez fui prestigiar o cinema nacional.
Após 3 anos foi lançado o segundo filme da franquia (penso que seja uma) Minha mãe é uma peça.


Ficha Técnica:

Direção: César Rodrigues
Elenco: Paulo Gustavo, Rodrigo Pandolfo, Mariana Xavier mais
Gênero: Comédia
* Não recomendado para menores de 12 anos
Fonte: Adoro Cinema

Sinopse:
Dona Hermínia (Paulo Gustavo) está de volta, desta vez rica, pois passou a apresentar um bem-sucedido programa de TV. Porém, a personagem superprotetora vai ter que lidar com o ninho vazio, afinal Juliano (Rodrigo Pandolfo) e Marcelina (Mariana Xavier) resolvem criar asas e sair de casa. Para balancear, Garib (Bruno Bebianno), o primogênito, chega com o neto. E ela também vai receber uma longa visitinha da irmã Lucia Helena (Patricya Travassos), a ovelha negra da família, que mora há anos em Nova York.

Este texto pode conter spoiler, o que pode revelar partes do filme. Se não quiser ler, sugiro que visite outros posts no Vida que Segue.

Assim como no filme anterior, este também gira em torno de dona Hermínia, uma mãe com suas angústias, mas agora avó, rica e apresentadora de um programa de televisão.

Paulo Gustavo incorpora a personagem com grande magnitude. As perucas perfeitas e roupas sempre alinhadas, (fiquei apaixonada pelas saias da dona Hermínia). Às vezes até esquecemos de que é um homem que está atuando ali.

O filme está bem mais clean que o outro, apesar de os personagens se valerem de “palavrões”, o humor está bem mais leve, mais gostoso de se ver e ouvir.

Dona Hermínia está vivendo a síndrome do ninho vazio. Seus filhos saindo de casa, indo morar em São Paulo… Marcelina foi ser atriz e Juliano, que agora é bissexual, vai em busca de trabalho. Hermínia se sente sozinha, sem ninguém para conversar. Mas nem por isso se isola do mundo. Coloca seus dilemas no programa que apresenta, tenta entrar para uma academia, vai visitar os filhos em São Paulo e sai para a balada com eles.

Algumas cenas do filme fogem do humor e emocionam. Como as cenas da tia Zélia.

Percebi que algumas sequencias não fariam falta no filme. Uma delas é o encontro de dona Hermínia com Fátima Bernardes nos bastidores do programa. Tudo bem que enriquece o elenco, mas não acrescentou nada de interessante ao filme.

O final do filme deixa uma ponta que dá a entender que teremos sim o terceiro filme, com dona Hermínia em Nova York.

Vamos aguardar!

Posts Relacionados:
Página 1 de 3712345672030