Postado em: 08/02/2014 às 23:54 - Por: Neli Carpinter

No post de hoje, tenho o prazer de compartilhar com vocês uma entrevista com Fabio Brunelli, jornalista e escritor brasileiro.
Durante muitos anos foi apresentador do RJTV produzido pela TV Rio Sul, afiliada da Rede Globo no sul do Estado do Rio.
Em 2009, lançou seu primeiro romance pela Editora Novo Século. O livro Elas por Ele, onde descreve o universo feminino na visão de um homem.
Solícito, ele topou bater um papo com o Vida que Segue. O agradeço por isso.

Confiram:

Fabio Brunelli - Foto cedida pelo próprio

Fabio Brunelli – Foto cedida pelo próprio

VQS: Como você se descreve?

Fabio Brunelli: Sou uma pessoa simples. Gosto de comida caseira, tocar violão e uma boa companhia. Fujo de problemas. Mas quando eles aparecem, os encaro como desafios e sinto um prazer imenso em superá-los.

VQS: Como aconteceu o seu primeiro encontro com o jornalismo?

Fabio Brunelli: Tinha 17 anos quando conheci Jayme Monjardim, na época diretor-artístico da TV Manchete. Ele estava no Parque Nacional do Itatiaia no hotel de um amigo meu. Depois de uma conversa muito agradável, me convidou para fazer um teste na TV. Eu era locutor de rádio. No mês seguinte, comecei a trabalhar como apresentador de telejornal na Manchete. Agradeço muito a ele e a Alice Maria, diretora de jornalismo da emissora, pela oportunidade que tive.

VQS: Como foi a sua experiência como apresentador e editor-chefe na TV Rio Sul e por que você decidiu sair da emissora?

Fabio Brunelli: Foram os vinte anos mais deliciosos da minha vida. O RJTV era um novo desafio a cada dia. A equipe da Rio Sul sempre foi muito jovem, se renovando a cada ano. Dessa forma, pude aprender muito com os que chegavam, ao mesmo tempo em que compartilhava meus conhecimentos. Sou muito grato à emissora e sinto muita saudade de toda a equipe. Decidi deixar a Rio Sul em setembro do ano passado para me dedicar a um empreendimento imobiliário que passou a exigir meu tempo cada vez mais. São apartamentos em Resende. O projeto já está aprovado e o primeiro prédio começará a ser construído no mês que vem.

VQS: Em sua opinião, quais as características de um bom repórter/jornalista?

Fabio Brunelli: Ele deve ser incansável e curioso. Ser imparcial, ter muito bom-senso. Deve contextualizar o fato, descrever o que levou a este acontecimento e quais são suas implicações na vida dos envolvidos e de quem vai ver a reportagem. Mas, acima de tudo, deve gostar do que faz.

VQS: Em 2009 você lançou o livro “Elas por Ele – O universo feminino na visão de um homem”. Como e quando você soube que se tornaria um escritor?

Fabio Brunelli: Foi numa sessão de análise. Meu terapeuta, depois de me ouvir por mais de cinco anos, me disse que aquelas histórias que eu contava dariam um bom livro. Acreditei nele e comecei a escrever naquela mesma noite.

VQS: Como foi, para você, conciliar o trabalho de editor-chefe, apresentador de telejornal e a literatura?

Fabio Brunelli: Na época, eu estava solteiro. Com tempo de sobra durante a noite, passei vários meses escrevendo de madrugada. Talvez tenha ficado com um pouco de olheira. Mas a maquiagem resolvia bem esse problema.

VQS: Você é Diretor da Brunelli Filmes. Como surgiu a ideia da empresa?

Fabio Brunelli: Surgiu ao perceber que a região era carente em relação a um serviço de filmagem mais profissional. Montei uma equipe de cinegrafistas e editores extremamente talentosos, definimos roteiros e investi em equipamentos de última geração. Hoje, filmamos principalmente festas e eventos de uma maneira moderna, dinâmica e em formato de cinema.

VQS: Como é a sua relação com o público? As pessoas te reconhecem, pedem autógrafos?

Fabio Brunelli: Depois de entrar na casa das pessoas por quase vinte anos, muita gente me reconhece sim. Quem costuma pedir autógrafo são as crianças, sempre mais desinibidas que os adultos. Mas confesso que sou meio tímido nessas horas.

VQS: Você é visivelmente um homem muito bonito. Você se considera uma pessoa vaidosa?

Fabio Brunelli: Não sou vaidoso. Ao contrário. Gosto ir ao banco de chinelo e camiseta velhinha. Recentemente, passei máquina dois no cabelo. Era um sonho antigo que não dava para realizar trabalhando na TV. Adoro a sensação de não ter que me preocupar mais em pentear o cabelo.

VQS: O que você gosta de fazer nas horas vagas?

Fabio Brunelli: Gosto do que todo mundo gosta. Sair para jantar, bater-papo com amigos, viajar. Mas também gosto muito de tocar violão. É uma delícia.

VQS: Desejo a você Muito sucesso e mais uma vez agradeço a sua atenção.

Posts Relacionados:
♥ ♥ ♥ Comentários ♥ ♥ ♥

(*) Campos Requeridos



Em 09-02-2014 às 10:19 pm

Amei a entrevista e sabe que ficava me perguntando pq ele tinha sumido do RJ. Não sabia que tinha saído.
bj


    Neli Carpinter
    Em 11-02-2014 às 1:54 pm

    Obrigada Flavinha!
    Agora vc já sabe e o conhece um pouco mais neh?
    Bjus


Em 10-02-2014 às 3:21 pm

Olá flor, tudo bem?
Gostei da entrevista, que xique kkkkkkk, arrasou!!
Bjs!!


    Neli Carpinter
    Em 10-02-2014 às 3:24 pm

    Obrigada Carol! Td bem, graças a Deus.
    Que bom que gostou do post.
    Bjus


Em 11-02-2014 às 9:24 am

Muito legal a entrevista, não sabia que ele tinha saído da TV Rio Sul.
Boa semana!
Beijos


    Neli Carpinter
    Em 11-02-2014 às 10:02 am

    Obrigada Bianca!
    Boa semana pra ti também.
    Bjus


Em 11-02-2014 às 4:31 pm

Adorei!! Ri muito dele falando das olheiras que o livro causou e a necessidade de maquiagem pra tampar, acho que todo mundo que escreve o que quer que seja já passou por isso, né?
Adorei ver o ponto de vista da profissão dele… É visivelmente alguém que gosta do que faz e gostou do que fez!


    Neli Carpinter
    Em 12-02-2014 às 3:26 pm

    É verdade Luly, e, a maquiagem é a única companheira nessas horas.
    Bjus


Em 12-02-2014 às 1:10 pm

Não o conheço, mas a entrevista ficou ótima…parabéns!
Bjs!


    Neli Carpinter
    Em 12-02-2014 às 3:25 pm

    Obrigada Adriana, que bom que gostou!
    Bjus


Em 15-02-2014 às 12:15 am

Ai, admiro tanto a carreira de jornalista! Até tentei, mas aqui próximo da minha cidade não tive sorte, a faculdade não era tão legal. Um dia, quem sabe… destranco e volto! Adorei saber um pouco mais.

Um beijo,
Re


Em 15-02-2014 às 4:53 pm

Adorei a entrevista, mas confesso que não sei quem é esse apresentador – e muito menos sabia sobre o livro! 😛