Postado em: 28/04/2014 às 13:23 - Por: Neli Carpinter

Muito se lê sobre o meio ambiente e as mais variadas formas de preservá-lo, sobre preconceitos, sobre respeito aos idosos e outros temas que podem ajudar nos tornarmos mais humanos e o nosso planeta habitável e com qualidade de vida, mas será que agimos diferente depois de ler os artigos?

Ler, ouvir, compartilhar artigos, hashtags e fotos é muito bonito, gera likes…, mas será que no nosso dia-a-dia fazemos tudo aquilo que compartilhamos? É hora de colocar na prática o que compartilhamos na teoria.

Se cada um de nós fizer um pouquinho, a diferença será visível.
Listo abaixo 7 itens, os quais já citei aqui que podemos adicionar a nossa vida e que podem realmente ajudar a nos tornarmos mais humanos e ajudar nosso planeta sobreviver para nossos netos e bisnetos.

Imagem reprodução: Google

Imagem reprodução: Google

1- Levar sempre na bolsa uma ecobag para não ter que carregar sacolas de plástico para casa;
2– Quando vir alguém maltratando o ambiente, jogando lixo na rua, cortando uma árvore que não esteja ameaçando nenhuma fiação ou outra coisa semelhante, maltratando um animal indefeso, etc., ter coragem de tomar alguma atitude em relação ao fato;
3– Estamos em ano de eleições. Que tal sair do ostracismo político, sendo mais participativos, dando sugestões e lutando por elas?
4– Separar o lixo de casa diariamente;
5– Ceder lugar no ônibus para as pessoas idosas;
6– Fazer pelo menos uma boa ação por dia;
7– Não descuidar da família e dos amigos reais por causa dos virtuais, que também são importantes, mas não únicos.

E pra quem achar que nada disso é importante, só uma perguntinha: Como cobrar de nossos políticos ações para melhorar o país, se não damos o exemplo?

Posts Relacionados:
Postado em: 23/04/2014 às 15:06 - Por: Neli Carpinter

Sempre vemos em nossas timelines campanhas para doação de sangue não é? Você sabe a importância desse ato?

Doar sangue, um ato de amor!

Doar sangue, um ato de amor!

O mandamento que Jesus nos deixou de “amar o teu próximo como a ti mesmo” explica bem. É um ato de amor, de ajuda ao próximo. A falta ou pouca quantidade de sangue em estoque nos hospitais pode significar a perda de uma vida.

Por diversos motivos, sempre há alguém necessitando receber sangue. Seja por ser portador de doenças como hemofilia, leucemia, anemia, etc ou por acidentes ou por cirurgias e, por enquanto não temos NADA que substitua o sangue.

Doar sangue não causa nenhum prejuízo ao doador e é um ato muito simples. Já li em muitos lugares que, se cada pessoa saudável doasse pelo menos duas vezes no ano, o abastecimento seria suficiente para atender a demanda.

Antes da doação, a pessoa passa por uma avaliação e exame clínico com a finalidade de verificar as suas condições de saúde. Se houver algum fator de risco, a doação não poderá ser realizada. E, se tudo estiver bem, cerca de 400ml de sangue será coletado.

Para saber os requisitos e impedimentos para ser um doador, clique aqui

Você já é doador? Não?! O que tá esperando? Sempre tem um banco de sangue pertinho de você, corre lá!

Posts Relacionados:
Postado em: às 00:55 - Por: Neli Carpinter

A partir de hoje, uma vez por semana vou postar um vídeo com fails aqui no blog. Não será nenhum protagonizado por mim, mas escolherei com muito carinho um no youtube.
Para quem não sabe, fail significa fracasso, engano, falha, pagar mico, no popular, vídeo cacetadas. Para ver o significado completo clique aqui

Em homenagem ao Ben (Gabriel Falcão) de Malhação, o meu eleito da semana é com seu esporte preferido: parkour.

Se você é daquelas (es) igual a mim que não aguenta ver um machucado pule de 1:15 para 1:20


E ai, gostaram? Deixe seu comentário e aguarde mais um na próxima semana.

Posts Relacionados:
Postado em: 18/04/2014 às 15:53 - Por: Neli Carpinter

Todas essas receitas são da minha avó, que fazia tudo com muito carinho para toda a família e mais quem chegasse em casa, e eu vou partilhar com vocês essas delícias.

Bacalhoada de forno

Bacalhoada de forno

Bacalhoada de forno

Ingredientes:
1 kg Bacalhau Dessagaldo;
1 kg Batata inglesa;
1 cebola grande cortada em rodelas;
1 pimentão verde, cortado em tiras finas;
1 pimentão vermelho, cortado em tiras finas;
1 pimentão amarelo, cortado em tiras finas;
Azeite de oliva extra virgem;
Pimenta do reino à gosto;
Azeitonas pretas;
Cheiro verde.

Modo de preparar:

Em uma panela, coloque o bacalhau e acrescente água até cobri-lo, deixe cozinhar, mas deve ficar firme, pois depois vai ao forno. Caso seja necessário, vá acrescentando água até o bacalhau cozinhar. O tempo de cozimento dependerá da altura da posta do peixe.
Cozinhe também as batatas cortadas em rodelas finas, até ficarem “al dente” (eu costumo colocar umas gotinhas de vinagre para que elas não desmanchem).
Em outra panela, despeje um pouco de azeite de oliva e frite a cebola e os pimentões, até que fiquem dourados, temperando a mistura com pimenta do reino à gosto. A importância fritar as cebolas e pimentões é para evitar que no forno acumulem água. Não devem ser utilizados crus.
Em um refratário alto monte a bacalhoada da seguinte forma:
Cubra o fundo da travessa com as batatas cozidas e regue com azeite de oliva;
Acrescente metade da cebola e pimentões fritos;
Com cuidado para que não despedace, coloque o bacalhau;
Acrescente o restante das cebolas e pimentões e regue tudo com azeite de oliva;
Por último coloque as azeitonas pretas e o cheiro verde (o cheiro verde pode ser colocado depois de pronto. Eu prefiro antes).
Leve ao forno pré-aquecido por aproximadamente 20 minutos. Dependendo da intensidade da chama, há fornos em que o tempo será menor ou maior. O importante é verificar que o azeite está fervendo e, consequentemente, todos os ingredientes da receita.
Sirva em seguida.

Bolinho de bacalhau

Bolinho de bacalhau

Bolinho de bacalhau

Ingredientes:

½ kg de bacalhau;
½ kg de batata;
1 ovo;
salsa e cebolinha (picados);
2 dentes de alho amassado;
farinha de trigo para dar ponto;
5 colheres de sopa de azeite;
Sal.

Modo de preparar:

Dessalgue o bacalhau e coloque para cozinhar.
Desfie e reserve.
Cozinhe as batatas e esprema-as.
Misture a batata com o bacalhau desfiado e acrescente os outros ingredientes, (salsa e cebolinha, alho e o azeite), vá acrescentando a farinha de trigo misturando bem até dar ponto para enrolar.
Verifique o sal e se for necessário, coloque mais um pouco para temperar.
Faça os bolinhos e frite-os em óleo bem quente.

Atenção! Não coloque cebola na massa senão o bolinho abre.

Canjica doce com amendoim

Canjica com amendoim

Canjica com amendoim

Ingredientes

½ kg de milho para canjica;
2 l de água;
1 lata de leite condensado;
1 vidro de leite de coco;
100 grs de coco ralado;
2 xícaras de leite comum;
Cravos da Índia;
Pauzinhos de canela;
250 g de amendoim torrado e moído;
Canela em pó para polvilhar.

Modo de preparar:

Deixe a canjica de molho na água de um dia para o outro.
Cozinhe em panela de pressão por 30 minutos ou até que esteja macia.
Acrescente o leite, o leite condensado, o coco ralado, o leite de coco, o cravo e a canela.
Deixe ferver por mais alguns minutos, mexendo sempre até que ela fique cremosa.
Acrescente o amendoim e coloque em uma travessa.
Polvilhe a canela em pó e sirva.

Paçoca

Essa paçoca a vó fazia no pilão ou na máquina de moer e eu faço no processador.
Quando a vó fazia, a “bagunça” durava o dia todo. Era muito gostoso participar da preparação e a recompensa era saborear esse doce deliciosamente viciante.

Paçoca

Paçoca

Ingredientes

½ quilo de amendoim
½ quilo de açúcar
250 grs de farinha de mandioca torrada
½ colher (sobremesa) sal

Modo de preparar:

Torre o amendoim na panela, mexendo com uma colher de pau até ficar moreninho. Coloque o amendoim numa vasilha para tirar as casquinhas (dá um trabalhão para quem mora em apartamento). Se encontrar para comprar já torrado e sem sal, não pense duas vezes, compre.
Coloque o amendoim no processador (a vó socava no pilão ou passava na máquina de moer) e adicione aos poucos a farinha de mandioca torrada (já compra torrada ou torre em casa) e o açúcar. Depois que tiver bem batido, acrescente o sal.
Pode ser servida em potinhos para comer com colher ou se preferir que fique igual às paçoquinhas compradas, unte as mãos com um pouco de manteiga e vá dando o formato, enrole em insulfilme e deixe descansar um pouco. Desenrole e pronto.

Essas receitas eram muito apreciadas por todos, faziam sucesso mesmo! Espero que vocês também façam e gostem.

Bom apetite!

O bolinho de bacalhau e a paçoca, hoje, foram feitos pelo meu filho. Grande menino!

Posts Relacionados:
Página 30 de 4010202728293031323340